O SENTIMENTO DE ALEGRIA

 em Amor, Centelha Divina, evolução espiritual

                       NICANOR /

AMÉRICA PAOLIELLO MARQUES

Alegria é sentimento que proporciona ao ser a consciência plena de sua união com a beleza harmoniosa da Vida.

É consequência da fé nos próprios destinos e tem a força de relegar a um plano secundário os obstáculos que parecem impedir a evolução. Pode ser definido como a paz conquistada através do reajustamento progressivo à vida espiritual superior.

Sente-se alegre a criança que se recolhe ao regaço materno, embora estivesse satisfeita momentos antes na disputa dos jogos infantis com seus companheiros. Lá, porém, junto à segurança do carinho materno, já desfruta alegria, pois sabe que recebe, sem limitações, o amparo que é a renovação de sua alma.

Ao espírito sequioso de evolução a alegria também é proporcionada através da certeza do Amor Divino a envolvê-lo.

Quem já sentiu os deveres espirituais que lhe cabe e os executa com persistência e esforço, mas sem alegria, estará agindo como se fosse possuidor de um veículo moderno e o atrelasse a animais de tração.

Não negueis vossa participação na grandiosidade do conjunto universal por um falsa noção de humildade.

Este sentimento sublime de alegria é uma vibração suave e doce, que invade a alma de quem pode contemplar, em espírito e verdade, a Obra do Eterno, reconhecendo-se como parte integrante do Grande Todo! Entregai-vos à atração que exerce sobre vós a Força Central da Vida pois a ela pertenceis.

Irmãos! Lembrai-vos de que as circunstâncias passageiras de desajuste não vos perturbarão a caminhada quando sentirdes a alegria íntima do que sois!

Afinal é oportuno e necessário definir o que somos.

Seremos nós a soma de enganos passageiros que agasalhamos na mente? Que terá mais força: o plano divino que nos criou para a realização maior ou os equívocos que surgem a todo instante à nossa volta? Seremos um conjunto de pó e lama que restou do intrincado panorama espiritual do passado ou canal receptor da água da vida que nos vem do Criador?!

Que utilidade haveria em nos reconhecermos como usinas transformadoras da força em cataratas de luz, se não nos impulsionássemos a utilizá-la com alegria e fé?

 

 

Fonte: TRANSMUTAÇÃO DE SENTIMENTOS -o amor-ciência como caminho (2018)

 

 

 

Postagens Recentes

Deixe um Comentário