PRECE DE AMÉRICA (1)

 em Prece

América Paoliello Marques

Quantas vezes forem necessárias, Senhor, eu recomeçarei.

A tarefa de amor que me confiaste irá avante e eu envolverei aqueles que não Te conhecem com a Luz do Amor que Tu me envias.

Eu amarei, Senhor, as horas de provação que me vêem, porque nelas vejo horas abençoadas de minha existência.

O chão em que piso foi regado pela incompreensão, porém, a fermentação por ela causada, auxilia a formação do adubo precioso que será absorvido pelas sementes do amor que já trago em meu espírito.

Olho meu semelhante e vejo que procura ainda a paz onde ela não está e, apiedando-me dele, procuro dar-lhe o meu envolvimento de amor para que tenha uma trégua em seu sofrer. Nada espero que me dê em troca, porque a paz do Senhor é minha única recompensa!

Dá-me, Senhor, a força de permanecer erguido entre aqueles que se curvam para recolher as dádivas transitórias da vida e que meus olhos, fitos no futuro, permitam-me pressentir as pequenas vitórias que já me concedes, estendida àqueles com os quais desejo caminhar.

Eu os apresento a Ti, Senhor, e invoco para eles a Tua bênção, o Teu Amor. Sei que Teus filhos amados estão comigo nas horas do testemunho, porém, peço-Te, não para mim, mas para eles que não Te conhecem.  Envolve-os em Teu puro e santo Amor!…

Da atmosfera de paz dos ambientes espirituais, Tu me conduzes ao contato dos que amo, Senhor. Dá que eu possa por-lhes diante dos olhos a visão da paz íntima que me fizeste conhecer e, alegremente, dar-lhes o testemunho de quão valiosa é a Tua presença dentro do coração humano! Continua, Senhor, a trazer ao meu espírito a paz que conheci e que amo como felicidade suprema. Nada espero que me venha de fora. Na intimidade do meu claustro interior, tenho meu contato Contigo e sinto que não recebi em vão a Tua paz.

Sou aquele cuja impassibilidade (2) diante da luta demonstra a confiança que tem em Teus desígnios.

Chegou a hora feliz, Senhor, em que reencontro com meus irmãos do passado e posso demonstrar- lhes meu amor, esclarecido à luz da fé que me inspiras. Erros, cometerei ainda, mas que importa, se permanece para mim a bênção do tempo e sei que, ao fim da jornada Tu me esperas porque procuro realizar a contento as tarefas que me cabem? Que importa a mim a luta, se sei que estás comigo? Que importa a incompreensão de meu irmão, se sei que me compreendes?  Que importa o cansaço da luta, se sei que é nela que Te posso encontrar?

Tenho só uma diretriz, Senhor – estar Contigo. Existe mais alguma coisa à minha volta? Não importa. Há sofrimento, há desengano, há incompreensão, há tortura moral, há contradição?

Somente sei que estás comigo e que eu Te procuro através de todas as circunstâncias do Caminho. Eu Te amo, Senhor, através de meus irmãos. Não os vejo diante de mim.  Vejo a Ti, Senhor, e por Ti eu os amo. Curvo-me diante deles, ausculto-lhes as dores e dou-lhes o lenitivo que sou capaz de proporcionar-lhes.  Na realidade, não existo, Senhor, com objetivos pessoais.

Existo como parte de um todo que Te pertence e dentro dele executo a minha parte, de acordo com a Tua vontade.

Se meu irmão não compreender meu amor, perdoa-o, Senhor, que eu também o perdoarei. Se ainda não pode ver-Te, continuarei a ver-Te, por ele e esperarei a hora em que possa fazê-lo por si mesmo. Não exigirei dele que me dê a compreensão que não tem, e saberei esperar compreendendo sua impossibilidade temporária.  Sei que chegará seu dia de Luz e antegozo o instante em que a Paz também lhe pertencerá. Dá-me forças, Senhor, para que, até lá, eu o ame inalteravelmente, vendo pacientemente germinarem suas forças positivas.

Que a luz do Senhor esteja com todas as criaturas.

 

 

NOTAS:

(1) Este texto abre o livro TRANSMUTAÇÃO DE SENTIMENTOS (pg.17), e consta também do livro EVANGELHO, PSICOLOGIA E IOGA (capítulo 4, em Mensagens), de autoria de América Paoliello Marques.

(2) Impassível é aquele que é imperturbável; que não se abala tanto diante do padecer ou do sofrimento; sereno.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário